Loading SEBRAE

Mais buscados: sei credito consultoria boas praticas empretec

Loading SEBRAE

Startup

Qual escolher?

Conheça seis alternativas de investimento para startups

23/01/17
Augusto Martinenco

Augusto Martinenco

Gerência de Inovação, Mercado e Serviços Financeiros

COMPARTILHE
É importante pensar qual tipo de investimento se encaixa melhor nas necessidades da empresa e o que é mais viável conseguir no momento.

O primeiro passo para você avaliar a melhor alternativa de investimento para a sua startup é identificar com clareza em que estágio ela se encontra. Você já desenvolveu o protótipo? Está validando o produto/serviço no mercado? Já está faturando? O próximo passo é escalar em novos mercados? As respostas para essas perguntas ajudarão a identificar as melhores alternativas de captação de recursos alinhadas com a necessidade da sua empresa. Confira seis tipos de investimentos e para quais estágios do negócio são mais indicados:

Bootstrapping

É quando os empreendedores utilizam recursos próprios, ou no máximo dos primeiros clientes, para fazer o investimento inicial na sua startup, sem recorrer a investidores externos. Este tipo de investimento proporciona maior autonomia aos empreendedores, porém, em linhas gerais, faz com que o tempo de desenvolvimento do negócio seja muito maior.

79_1212_gcomgind_economiadigital_investimentostartups_augusto_840x415

Subvenção Econômica

São instrumentos de políticas de governos para aumentar as atividades de inovação e competitividade das empresas. O objetivo é aplicar os recursos não reembolsáveis, diretamente nas empresas, compartilhando com as mesmas os custos e riscos inerentes às atividades de inovação. Os principais editais nacionais de subvenção estão ligados a FINEP, SENAI e SEBRAE.

Aceleradoras de Negócios

São empresas com equipe dedicada, cujo objetivo é investir no desenvolvimento e crescimento das startups. Normalmente realizam investimento direto com capital financeiro, em troca de participação acionária na empresa. Além do capital, aceleram o crescimento do negócio através de mentorias, conexões com players do mercado, infraestrutura e networking. Em linhas gerais, atuam no estágio de validação do negócio, com ciclos de aceleração que levam de 04 a 12 meses. No Rio Grande do Sul, destacam-se as aceleradoras WOW e VENTIUR.

Equity Crowdfunding

É um conjunto de pessoas físicas (investidores) financiando empresas, através de uma plataforma on-line, em troca de participação acionária. Nesta modalidade, a startup pode se conectar com investidores de todos os portes. O foco principal é captar recursos financeiros. No Brasil, destacam-se as plataformas Broota, Eqseed, StartMeUp.

Investimento-anjo

É quando uma pessoa física utiliza seus próprios recursos para estimular uma startup que está começando, mas que tem um grande potencial de retorno. Normalmente, estes investidores são empresários, executivos e profissionais ligados ao setor que a empresa atua, agregando, além do aporte financeiro, conhecimento e networking. Atuam como conselheiros, sem posição executiva.

Fundo de investimento

São investimentos em montantes maiores, em empresas de pequeno e médio porte que já possuem um faturamento expressivo, mas que buscam dar um salto de crescimento. Os fundos buscam empresas com grande capacidade de escalabilidade em um período curto de tempo. Nesta modalidade, os fundos participam da gestão do negócio, ocupando uma posição no conselho de administração da empresa. No Rio Grande do Sul, destacam-se a CRP Companhia de Participações, Fundo Criatec 2 e Inseed Investimentos.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

15 de Dezembro de 2017

Empresas da saúde conquistam resultados com projeto do Sebrae RS

SAIBA MAIS

 

14 de Dezembro de 2017

Sebrae RS disponibiliza conteúdo online gratuito

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 15/12/2017 15:14

Palestra traz impactos de novo sistema para pequenas empresas

Sebrae RS Podcast 15/12/2017 11:48

Pizzaria se moderniza inspirada em poesia, com apoio do Sebrae