Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI CONSULTORIA Credito Boas praticas Empretec

Loading SEBRAE

Saúde

Exporta Brasil

Unida, a indústria de saúde brasileira se fortalece no exterior

24/08/17
Clara Porto

Clara Porto

Gerente de projetos e marketing internacional da ABIMO

COMPARTILHE
Exportação não é uma atividade que integra apenas a estratégia das gigantes da economia, mas uma ação possível também para as pequenas.

É interessante observar que a alta competitividade interna da indústria nacional de saúde não é um breque para que as marcas se unam quando o assunto é exportação. E este é um dos grandes segredos de sucesso do projeto setorial Brazilian Health Devices, uma parceria firmada em 2002 entre a ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) para internacionalizar o setor.
Com diversas ações para fortalecer o segmento mediante compradores internacionais, o projeto leva a nossa indústria para expor mundo afora como, por exemplo, na Medica, maior evento de saúde do planeta, e na IDS, maior feira do setor odontológico do mundo. Com isso, faz com que o país visualize que exportação não é uma atividade que integra apenas a estratégia das gigantes da economia, mas uma ação possível também para as pequenas.
E esta percepção é apenas o início de uma ampla mudança cultural que o empresariado brasileiro precisa vivenciar. As marcas nacionais estão começando a aceitar essa cultura exportadora demonstrando interesse em ultrapassar fronteiras. Mesmo porque esta é uma das formas encontradas para driblar a crise e fazer com que a empresa cresça mediante um cenário interno de instabilidade.

No Brazilian Health Devices, a cada dois anos são definidos os principais mercados-alvo. É feito um estudo que aponta quais países serão abordados e como as marcas chegarão até eles. A definição deste primeiro passo impulsiona as empresas participantes a trabalhar seus portfólios investindo em infraestrutura para atender à nova demanda.
Mantendo este ritmo há quinze anos, a indústria nacional já absorveu um ensinamento importante: quando falamos em internacionalização, expandir os horizontes traz mais segurança para quem se arrisca fora do país, afinal quanto maior o número de nações e clientes estrangeiros conquistados, menor será a dependência da empresa em relação às oscilações econômicas e às sazonalidades das demandas. Neste caso, quanto mais, melhor!
Exportação não é uma atividade que integra apenas a estratégia das gigantes da economia, mas uma ação possível também para as pequenas.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

19 de Setembro de 2017

Gaúchas que serão destaque no Cachaça Trade Fair 2017

SAIBA MAIS

 

18 de Setembro de 2017

Mercopar recebe inscrições para as Rodadas de Negócios até quarta-feira

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 19/09/2017 15:36

Cachaçarias gaúchas participam de feira em São Paulo

Sebrae RS Podcast 18/09/2017 11:22

Empreendedoras criam calcinha que dispensa uso de absorvente