Loading SEBRAE

Mais buscados: sei credito consultoria boas praticas EMpretec

Loading SEBRAE

Notícias

Pesquisa revela a relação entre pequenos negócios e instituições financeiras

19/12/16

Da Redação

COMPARTILHE

Iniciativa do SEBRAE Nacional aponta que altas taxas de juros ainda são o maior problema para obtenção de empréstimos. No Estado, esse dado representou 55% das respostas

Da Redação

Pesquisa Financiamento dos Pequenos Negócios foi realizada pelo SEBRAE Nacional (Foto: Divulgação)

Porto Alegre – A pesquisa Financiamento dos Pequenos Negócios, realizada pelo SEBRAE Nacional, aponta que ainda existe uma grande barreira para que micro e pequenas empresas (MPEs) solicitem empréstimo. De acordo com os dados, também subdivididos por Estado, mais de 80% dos empreendimentos não solicitam crédito bancário, número que aumentou 10% com relação ao ano anterior. No Rio Grande do Sul, apenas 14% dos empresários entrevistados solicitaram financiamento nos últimos seis meses. Esses e outros dados apontam a realidade de quem pretende abrir ou expandir os negócios.

A entidade ouviu 6.886 empreendedores em todo o País por meio de questionários aplicados via contato telefônico, nos meses de agosto e setembro. Entre os resultados gerais, 47% dos entrevistados afirmam que a redução da taxa de juros seria a melhor solução para um financiamento ser efetivado. Na sequência, 27% apontam que a redução da burocracia seria o melhor atrativo. Como alternativa para suprir investimentos não relizados, os empreendedores negociam prazos com fornecedores (52%), usam cheque pré-datado (27%) ou especial (20%) e cartão de crédito empresarial (21%). A pesquisa mostrou, também, que 22% não estão utilizando nenhum tipo de financiamento.

No Rio Grande do Sul, os dados revelam que 14% dos empreendedores tentaram realizar um financiamento nos últimos seis meses. A técnica da Gerência de Gestão Estratégica do SEBRAE/RS Andreia Cristine Gratsch Nascimento ressalta que “eles estão reticentes em buscar capital de terceiros”. Entre os que buscaram crédito, o destino do valor solicitado seria para capital de giro (42%). “Em alguns casos colocam investimento próprios, mas não estão conseguindo gerar recursos para operar. Por outro lado, 37% procuraram financiamento para investir em compra de máquinas e equipamentos”, informa a técnica. Reforma ou ampliação (29%), refinanciamento de dívida (24%), compra de mercadorias (18%) e desenvolvimento de novo produto (3%) também foram apontados na pesquisa.

Para os gaúchos, a taxa de juros também responde pela maior dificuldade em conseguir realizar uma transação com instituições de crédito (55%). Falta de garantias reais (16%), de avalista (8%) e da documentação exigida (2%) seguem atrás. No entanto, 26% não apontou nenhuma dificuldade. “Os valores solicitados ficaram em torno de R$ 27 mil e, nos casos em que um empréstimo é concedido, o valor final atinge em média R$ 23 mil”, disse Andréia. Para a técnica, essa pesquisa é importante para o SEBRAE “identificar pontos que podem ser trabalhados no acesso ao crédito e para as instituições financeiras observarem as necessidades do público que atende”.

A pesquisa completa pode ser acessada aqui

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Siga o SEBRAE RS

Notícias

18 de Dezembro de 2017

Abertas as inscrições para a 10ª Edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor

SAIBA MAIS

 

15 de Dezembro de 2017

Empresas da saúde conquistam resultados com projeto do Sebrae RS

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 15/12/2017 15:14

Palestra traz impactos de novo sistema para pequenas empresas

Sebrae RS Podcast 15/12/2017 11:48

Pizzaria se moderniza inspirada em poesia, com apoio do Sebrae