Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI consultoria Credito BOAS PRATICAS empretec

Loading SEBRAE

Inovação é estratégia. E dá certo

12/01/17
SEBRAE RS

SEBRAE RS

Redação

COMPARTILHE

Pequena empresa do município de Marau, a Eletrovan Engenharias, colhe os resultados de consultorias e assessorias do Programa Agentes Locais de Inovação – ALI, uma iniciativa do SEBRAE em parceria com o CNPq

Marau – A diferença estava em inovar e diversificar. Até chegar a essa conclusão e ver seu faturamento crescer em 40%, a Eletrovan Engenharias teve de aprender as lições de uma gestão empresarial aberta ao conhecimento aplicado à prática. Para isso, contou com o acompanhamento do Programa ALI – Agentes Locais de Inovação, uma iniciativa realizada pelo SEBRAE RS, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A pequena empresa aderiu ao projeto, justamente, buscando as possibilidades que a atuação do ALI traria: implementar ideias que ajudassem a melhorar os processos, qualificar os atendimentos da área de elétrica e mecânica, montagens e manutenções.

Para a atuação, que no projeto vigente conta com mais de 2.500 empresas de pequeno porte participantes, somente no Rio Grande do Sul, a agente local de inovação deste case é Luana Cordeiro. Ela atua na região Planalto. “A experiência com os empreendimentos que participam do ALI nos mostra que a inovação é, de fato, uma estratégia que traz resultados e não apenas um nome bonito na administração de negócios”, empolga-se Luana. Do total de empresas participantes, quase 2.000 encerraram o primeiro ciclo de aplicação de diagnósticos e execução de planos de trabalho e já iniciaram uma nova etapa. O programa encerra-se com a previsão de aplicação de três ciclos em todas as empresas participantes.

No diagnóstico inicial feito para a Eletrovan Engenharias, que nasceu em Marau pelas mãos de Edivan Morais, em 2012, rapidamente foi possível perceber que se tratava de um ambiente propício à inovação e à criatividade, mas sem ferramentas para estimular os colaboradores a sugerirem ideias. “Na verdade, a comunicação como um todo carecia de melhorias. A fachada da Eletrovan tinha pouco destaque visual e a marca estava ausente dos ambientes virtuais. Além disso, a empresa não aplicava pesquisas de satisfação juntos aos clientes – e também não possuía um Código de Ética interno”, lembra a agente.

Independentemente dessas questões internas, com o tempo e as orientações do SEBRAE RS, o empreendedor conseguiu pensar e planejar a oferta de produtos que até então não constavam de seu portfólio: as placas e postes solares. “A entrada no segmento de energia renovável representou um salto de 40% no faturamento da empresa – conseguido em um período de apenas quatro meses após o início da operação”, confirma Luana, com base nas informações do empreendedor. Hoje, a Eletrovan já se qualifica para pleitear o edital de captação de recursos não reembolsáveis para Projetos de Inovação do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No mercado externo, a empresa busca contatos com parceiros da China e da Alemanha para a fabricação dos produtos.

De acordo com a gestora do Programa ALI no SEBRAE RS, Michele Seleri, toda e qualquer melhoria na gestão de micro e pequenas empresas podem gerar impactos significativos em resultados econômico-financeiros, mas, sobretudo, na satisfação dos empreendedores em ver seus esforços reconhecidos em seus mercados de atuação e entre seus colaboradores. “O nosso trabalho tem o objetivo de oferecer uma orientação proativa, especializada e gratuita. O agente local de inovação diagnostica a empresa e elabora planos de trabalho para promover a prática continuada de ações de inovação”, explica.

E foi assim que ocorreu na Eletrovan Engenharias. O plano de ação pensado pela Agente Local de Inovação contemplou a instalação de uma Caixa de Coleta de Ideias para incentivar as contribuições da equipe. O foco em inovação também foi intensificado com a realização de uma pesquisa de mercado, visando ao desenvolvimento de novos produtos. Já a abordagem na área de comunicação incluiu um plano de marketing e a criação de uma pesquisa de satisfação junto aos clientes, além da repaginação na fachada da sede.

Produtividade e envolvimento de todos na empresa

“A organização geral era um outro ponto a ser trabalhado. Em algumas oportunidades, os funcionários iam realizar algum serviço junto aos clientes e se esqueciam de levar todo o material de trabalho necessário. O jeito era regressar, elevando os custos com combustível e atrasando o cronograma de atividades”, recorda Luana, a agente desse caso. Em outras palavras, ela identificou que a produtividade estava baixa por causa dessas falhas. Como solução, a sugestão foi a elaboração de um checklist de ferramentas para que os colaboradores garantissem a escolha dos equipamentos necessários antes de sair a campo.

Ao longo do tempo, a capacitação da equipe ganhou atenção especial por meio da realização de cursos on-line por parte dos funcionários – alguns dos módulos, aliás, estão disponíveis no próprio site EAD do SEBRAE (www.ead.sebrae.com.br). Os gestores e colaboradores da Eletrovan também passaram a participar de oficinas e palestras, como o “Seminário Desafios do Crescimento” e “Rodadas de Negócios”, ambos promovidos pelo SEBRAE.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

21 de Agosto de 2017

As pessoas de uma empresa são parte fundamental dos negócios

SAIBA MAIS

 

21 de Agosto de 2017

Estande coletivo apresenta novidades de empreendedores gaúchos na Expoagas

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 21/08/2017 10:05

Tour da Moda leva varejistas a visitas técnicas em São Paulo

Sebrae RS Podcast 17/08/2017 16:25

Salão do Empreendedor ocorre durante a Expointer