Loading SEBRAE

Mais buscados: SEI consultoria Credito BOAS PRATICAS empretec

Loading SEBRAE

Construtora Maricler cresce sem perceber a crise econômica

12/01/17
SEBRAE RS

SEBRAE RS

Redação

COMPARTILHE

Motivada pelas ações decorrentes do Programa Agentes Locais de Inovação, a pequena construtora da Região Metropolitana mudou a estratégia de seus processos de gestão e conquistou clientes sem sofrer impactos do cenário atual

 

São Sebastião do Caí – Com apenas cinco anos de trabalho, a pequena Construtora Maricler teve que tomar uma decisão importante para dar conta de seu próprio crescimento: mudou-se de São Sebastião do Caí para o município de Portão. Mesmo assim, as raízes da sua primeira sede continuam fortes e são a origem do sucesso neste empreendimento. Criada pelo empresário Dancler Ely Filho, a empresa hoje orgulha-se de suas conquistas. “Não sabemos o que é crise econômica”, afirma ele. E, em pleno 2016, o que está acontecendo neste negócio de pequeno porte é o que o SEBRAE RS e o CNPq sempre buscaram desde que passaram a oferecer gratuitamente em conjunto o Programa Agentes Locais de Inovação (ALI).

A Construtora Maricler aderiu ao programa e passou a contar com o acompanhamento especializado de um profissional destacado para isso. O trabalho é sempre focado no desenvolvimento de inovações em produtos e processos. A gestora do Programa ALI no SEBRAE RS, Michele Seleri, explica que as empresas podem aderir ao ALI independentemente de terem identificado suas necessidades, pois é exatamente isso que o agente irá fazer em um primeiro momento.

“O diagnóstico é uma necessidade para poder traçar um plano de execução e implantação de melhorias em gestão e inovações”, esclarece. Os conhecimentos adquiridos pelos empresários em diversas oportunidades criadas pelo SEBRAE RS são convertidos em impactos positivos econômico-financeiros. No caso específico do Programa ALI, o trabalho tem o objetivo de oferecer uma orientação proativa, especializada e gratuita. “O agente local de inovação passa a fazer parte do dia a dia nos pequenos negócios em que está acompanhando. Então, ele ajuda a promover a prática continuada de ações de inovação”, ensina Michele.

Na Construtora Maricler, tudo começou a partir de 2013. A estratégia competitiva foi revista diante do mercado de construção civil e ela passou a atuar no segmento de edificações verticais. Antes, só havia feito condomínio horizontal. Com a nova fase e a chegada de um novo sócio-proprietário, a visão sobre os negócios foi ampliada. “A percepção de que, devido à renda média per capita da população de São Sebastião do Caí, era preciso oferecer outro tipo de produto falou mais alto. Em vez de só casas, planejou-se, então, o primeiro prédio”, conta a agente local de inovação, Marina Rambo Specht, que acompanha o Programa ALI desde 2014.

Os resultados foram surpreendentes, pois as vendas dos apartamentos foram muito rápidas, dando margem para o lançamento do segundo projeto, em um município vizinho. “Nesse momento, do ponto de vista da gestão empresarial, precisamos preencher uma lacuna relacionada à marca no mercado. Ela não era sequer registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI, o que restringia seu uso. Na época, a Maricler estava em fase de reforma do escritório, tinha vários projetos e entre eles a criação de um site na internet com mais informações sobre a construtora e lançamentos”, recorda Marina, observando também a falta de relacionamento com imobiliárias parceiras.

“O trabalho do Programa ALI foi baseado em criar um plano de ação que suprisse essas necessidades. A empresa não possuía nenhuma sistemática estabelecida para avaliação de seus processos e demandas dos clientes, pois o contato ocorria informalmente, com a ausência de registros e históricos das informações recebidas. Além disso, também não realizava ações constantes de prospecção e fidelização de clientes”, diz a agente. Marina apoiou a criação de caminhos para prosseguir: registro da marca da empresa, implementação de indicadores de controle, formalização de pesquisa de satisfação dos clientes, desenvolvimento de um quadro de controle das obras, contratação da consultoria SEBRAEtec em Produtividade, reforma no escritório, criação de um novo site e de um Selo Verde Maricler. Ainda foi implantada uma praça para as crianças da comunidade, o que rendeu respeito local.

Resultados e crescimento

Segundo informações de controle da agente local de inovação, menos de um ano após o início do acompanhamento os resultados já começaram a aparecer. Até maio de 2015, o faturamento da Maricler aumentou em mais de 300% em relação ao que havia registrado antes do Programa ALI. Em unidades de apartamentos efetivamente vendidos, o crescimento foi de 250%. Além disso, o número de imobiliárias parceiras saltou de 5 para 15 em quatro cidades próximas de São Sebastião do Caí.

Nas redes sociais, como o Facebook, as curtidas de clientes ou admiradores passaram de 100 para 4.489. “Com a criação de um índice de satisfação dos clientes, foi possível mensurar, por exemplo, que 79% deles concederam nota 10 para o apartamento decorado em um lançamento da empresa. Essas ações foram fundamentais para a evolução alcançada no radar de inovação entre o ciclo zero e o ciclo 1, que corresponde a 74% de aumento no Grau de Inovação Global da construtora, saltando de 2,4 para 4,0”, relata Marina.

Com a consultoria do SEBRAEtec, a empresa foi conduzida a realizar melhorias em operações de logística e estocagem. “Foi definida a melhor localização geográfica do depósito e, assim, houve redução das perdas por deslocamento e um incremento de agilidade de abastecimento de matérias-primas nos canteiros de obras”, confirma o sócio Dancler Ely Filho. Ele lembra que todas as ações realizadas tiveram uma importância muito significativa para o crescimento da empresa. “Estamos avançando muito e rapidamente, tem muita coisa acontecendo e estamos percebendo que temos potencial para crescer mais e inovar muito nos produtos e processos. Estamos motivados”, anima-se.

Com o tempo, foram implementadas também ações como a contratação de uma agência de mídia para o gerenciamento das redes sociais, de uma agência de publicidade para cuidar da identidade visual da marca, de uma consultoria para planejamento de gestão e marketing e novos projetos, impressão de folhetos com os lançamentos para serem entregues ao público e colocação de outdoors para comunicação de massa. “Hoje, temos uma engenheira orçamentista e já aguardamos a solicitação do registro da marca, além da criação do novo site da empresa”, cita o empresário, enumerando as atividades que ajudam a se desenvolver.

Os próximos passos em inovação serão, por exemplo, aplicar uma política de remuneração variável para os colaboradores, em geral, mediante conquista de metas; criar um refeitório para colaboradores e ambientes com dicas sobre inovação e motivação; reaproveitamento de resíduos das obras; desenvolvimento de um plano de projeto social para a empresa; mapear e modelar os processos para a área de operações (planejamento de materiais, orçamento de compras, pagamentos, recebimentos); implantar indicadores para as metas e para as áreas de execução de obra e planejamento; implantar uma área financeira; e lançar novos empreendimentos.

Sobre o Programa ALI

O SEBRAE RS, em parceria com o CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico –, criou o programa ALI – Agentes Locais de Inovação, que disponibiliza para pequenas empresas acompanhamento especializado e gratuito para o desenvolvimento de inovações em produtos e processos dos setores da Indústria, Comércio e Serviços. As ações sugeridas pelo ALI são resultado do diagnóstico realizado na empresa a partir de um atendimento individualizado.

Entre os benefícios da implantação do programa nas empresas estão a realização de diagnóstico para identificação de oportunidades de melhorias; a construção de um plano de ação para inserção de soluções inovadoras no ambiente da empresa; auxílio no processo de implantação dessas soluções; informações sobre inovação e tecnologia; aproximação com instituições científicas e tecnológicas e realização de avaliação dos resultados gerados.

Atualmente, são atendidas empresas de municípios das regiões Metropolitana, Planalto, Serra, Sinos, Sul, Vales do Taquari e Rio Pardo e Noroeste.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

21 de Agosto de 2017

As pessoas de uma empresa são parte fundamental dos negócios

SAIBA MAIS

 

21 de Agosto de 2017

Estande coletivo apresenta novidades de empreendedores gaúchos na Expoagas

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 21/08/2017 10:05

Tour da Moda leva varejistas a visitas técnicas em São Paulo

Sebrae RS Podcast 17/08/2017 16:25

Salão do Empreendedor ocorre durante a Expointer