Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei Credito mei Consultoria Boas Praticas

Loading SEBRAE

Notícias

Índice mede confiança dos pequenos negócios na economia

17/10/12

Da Redação

COMPARTILHE

Em uma escala de 0 a 200, indicador marca 122 e mostra otimismo dos empresários

Da Redação

Luiz Barretto, durante coletiva em São Paulo (Foto Pablo de Sousa/LUZ)

Brasília – Como anda o faturamento e a contratação de pessoal por parte de microempreendedores individuais (MEI) e micro e pequenas empresas (MPE)? Quais as expectativas delas em relação aos dois temas no futuro próximo? As respostas para essas questões estão no Índice de Confiança das Micro e Pequenas Empresas, que o Sebrae apresentou nesta quarta-feira (17/10), em São Paulo, e passa a divulgar mensalmente.

Em setembro, a pesquisa ouviu 5,6 mil empreendedores em todo o país sobre o desempenho de suas empresas no mês de agosto, comparado ao anterior, e sobre suas perspectivas para os meses de setembro, outubro e novembro. As respostas são medidas em uma escala de 0 a 200, onde cem é o ponto de equilíbrio. Acima de cem, o resultado é considerado positivo, com tendência de expansão das atividades.

O Índice de Confiança está atualmente (setembro/12) em 122, demonstrando o otimismo dos empreendedores nos negócios e na economia brasileira. O resultado é o melhor dos últimos seis meses, já que em abril o ICMPE era de 115, tendo chegado a 112 nos meses de maio e junho. A metodologia foi criada pelo Sebrae com base nos indicadores de confiança da Universidade de Michigan e no Conference Board dos Estados Unidos, referência mundial em pesquisas econômicas. As entrevistas são feitas por telefone e contam com parceria da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

“Antes de lançar o índice, pesquisamos o segmento por seis meses, para ter uma série histórica que permita comparação”, explica o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. “Esse Índice de Confiança vai funcionar como um termômetro da atividade de 99% das empresas brasileiras, que são de micro e pequeno porte. E os resultados mostram que o segmento vem apresentando um bom desempenho”, completa.

Calcula-se o ICMPE a partir de dois outros números: o Indicador de Situação Atual (ISA), considerando a atividade – faturamento e pessoal ocupado – no mês atual comparado ao anterior, e o Indicador de Situação Esperada (ISE), abordando as perspectivas para os três meses seguintes. São quatro questões – duas sobre faturamento e duas sobre emprego – e três únicas respostas: se houve aumento, redução ou estabilidade.

Na pesquisa realizada em setembro, o Índice de Situação Atual (ISA) apontou estabilidade, ficando em cem. Esse foi o melhor resultado da série iniciada em março. Já o Indicador de Situação Esperada de setembro ficou em 143, também o maior da série, comprovando as boas perspectivas até novembro. Nos dois casos, o setor com a melhor evolução foi o de Serviços. A pesquisa tem abrangência nacional e também detalha alguns dados por região e estados, além de avaliar os dados por setor (indústria, comércio, construção civil e serviços) e porte (microempreendedor individual, que fatura até R$ 60 mil por ano; microempresa, até R$ 360 mil por ano; e pequena empresa, até R$ 3,6 milhões por ano).

A margem de erro é de dois pontos percentuais, no caso dos dados nacionais; de 2,5 pontos percentuais, nas informações nacionais setoriais; e de sete pontos percentuais, no dado estadual geral.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias
(61) 3243-7851 / 3243-7852 / 2104-2771 / 2104-2775 / 9977-9529
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Siga o SEBRAE RS

Notícias

18 de Abril de 2018

Sebrae RS promove rodada de negócios na 13ª Envase Brasil

SAIBA MAIS

 

18 de Abril de 2018

Sala do Empreendedor de Torres estipula metas para diminuir burocracia

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 17/04/2018 17:07

Sebrae lança projeto para apoiar MPEs na área da saúde

Sebrae RS Podcast 16/04/2018 16:45

Missão empresarial participa de feira industrial Alemanha