Loading SEBRAE

Mais buscados: sei Credito Consultoria BOAS PRATICAS Empretec

Loading SEBRAE

Economia Digital

Inteligência digital em tudo

Objetos conectados e inteligência artificial devem transformar ainda mais as empresas em 2017

23/01/17
Debora Chagas

Debora Chagas

Gerência Setorial da Indústria

COMPARTILHE
Mesmo que não sejam da área de tecnologia, os empresários precisam ficar atentos às tendências e verificar como seus negócios podem ser impactados.

Enquanto muita gente faz o possível para ficar por dentro e adotar as tecnologias que já estão presentes nos smartphones, computadores, automóveis, eletrodomésticos e equipamentos industriais, empresas como o Gartner, líder mundial em pesquisa, estão de olho no futuro. Ao falar em tendências tecnológicas estratégicas, o Gartner aponta para alguns conceitos que podem estar dando seus primeiros passos hoje, mas têm potencial disruptivo nos próximos anos.

De acordo com a diretora executiva da Thoughtworks, empresa de consultoria em tecnologia, Gabriela Guerra, os empresários precisam ficar atentos às tendências e verificar como seus negócios podem ser impactados. “É importante entender os conceitos. Alguns temas, como Inteligência Artificial e Machine Learning ainda são recentes no Brasil, mas precisamos pelo menos saber como eles funcionam. Do contrário, planejaremos coisas que não vão existir mais em curto prazo”, explica.

Gabriela constata que internet das coisas e blockchain já são temas mais “reais” na realidade brasileira e as corporações têm discutido mais os assuntos. “IoT terá um impacto gigante em breve. Já o blockchain vem recebendo a atenção de bancos e do setor financeiro para entender como integrar nas suas práticas ou o que podem aprender com isso”, afirma. No Rio Grande do Sul, empresários têm se interessado muito pelas possibilidades de automatização industrial.

Um dos aspectos que devem ser levados em conta para Gabriela é a crescente demanda de interesse dos clientes em entender como um sistema ou objeto vai interferir na sua privacidade e como os dados pessoais serão utilizados. Em escala mundial, já se pensa inclusive em legislações para tratar do assunto. “O Brasil foi pioneiro com o Marco Civil da Internet, por mais que se esperem muitas modificações. Por parte das pessoas é um movimento tímido, mas assim como a pauta da sustentabilidade já foi, vejo potencialidade de crescimento nesse quesito”, projeta.

As preocupações com segurança têm ocupado um espaço essencial na rotina de produção de softwares e sistemas. Atualmente, não é possível para uma empresa começar um projeto sem ter bem clara as vulnerabilidades dos sistemas e como resolvê-las. “As atualizações acontecem muito rápido e, em um cenário com vários ecossistemas interligados, trabalhar nisso é algo complexo e caro”, analisa.

36_economiadigital_tendenciasti_840x415

Avaliando o cenário de negócios gaúcho, Gabriela vê com otimismo as formas com que as tendências têm sido adotadas. “Já tivemos um mercado muito conservador por aqui, mas o mindset das startups tem influenciado lideranças e revelado executivos corajosos. Mesmo em um cenário político e econômico complicado como o que vivemos hoje, é possível encontrar soluções interessantes”, pontua.

Para quem quer conhecer melhor as tendências projetadas pelo Gartner, vale prestar atenção ao que diz o vice-presidente do Gartner, David Cearley. Ele ressalta que as tendências de TI preparam a disseminação da chamada “malha digital inteligente”, um cenário que objetos e sistemas interligados garantem um fluxo contínuo de informações e diminuem as fronteiras entre mundo físico e virtual.

Conheça as 10 principais tendências tecnológicas estratégicas para 2017:

  1. Inteligência artificial e Machine Learning (aprendizagem avançada da máquina)
    As técnicas avançadas cada vez mais ultrapassam os algoritmos tradicionais baseados em regras para criar sistemas que entendem, aprendem, prevêem, adaptam e, possivelmente, operam de forma autônoma.
  2. Aplicativos inteligentes
    Aplicativos como VPAs (assistentes pessoais virtuais) e VCAs (assistentes virtuais do cliente) atualmente já realizam tarefas que antes eram executadas por assistentes humanos. “Nos próximos 10 anos, cada aplicativo virtual, aplicativo e serviço vai incorporar algum nível de AI”, afirma Cearley. Isso tem o potencial de transformar a natureza do trabalho e a estrutura do local de trabalho.
  3. Coisas inteligentes
    Enquanto coisas inteligentes, como drones, veículos autônomos e aparelhos inteligentes, permeiam o ambiente, o Gartner antecipa uma mudança das coisas inteligentes autônomas para um modelo colaborativo da inteligência das coisas.
  4. Realidade Virtual e Aumentada
    Essas tecnologias vão transformar ainda mais a forma como os indivíduos interagem uns com os outros e com os sistemas de software. De acordo com Cearley, “as capacidades da VR e da AR irão se unir à malha digital para formar um sistema mais contínuo de aparelhos capazes de orquestrar um fluxo de informação que vem ao usuário com aplicativos e serviços hiper personalizados e relevantes. A integração de dispositivos móveis e vestíveis com a Internet das Coisas (IoT) e os ambientes ricos em sensores irão estender os aplicativos imersivos além das experiências isoladas e individuais.”
  5. Gêmeo Digital
    Dentro de três a cinco anos, centenas de milhões de coisas irão ser representadas por gêmeos digitais. As empresas irão usar este recurso, por exemplo, para monitorar, prever falhas e reparar equipamentos industriais.
  6. Blockchain e Registros Distribuídos
    A tecnologia de registro de dados e criptografia tem potencial para transformar as transações que envolvem bens no meio digital, da música aos serviços financeiros, mas ainda está em estágio inicial de desenvolvimento.
  7. Sistemas Conversacionais
    Chatbots e sistemas ativados por microfone (como a Siri, da Apple) são o foco das interfaces conversacionais hoje. No entanto, usamos cada vez mais pontos para acessar informações. A medida que a malha de dispositivos se desenvolve, surgirá uma maior interação cooperativa entre os pontos, criando a base para uma nova experiência digital contínua e real.
  8. Aplicativo de Malha e Arquitetura de Serviços
    No aplicativo de malha e na arquitetura de serviços (MASA), os aplicativos móveis, para a web, para desktop e para a IoT se conectam a uma malha ampla de serviços de retaguarda para criar o que os usuários enxergam como um “aplicativo”. A MASA permite que os usuários tenham uma experiência contínua quando transitam entre os dispositivos.
  9. Plataformas de Tecnologia Digital
    As plataformas digitais de tecnologia fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital. O Gartner identificou os cinco pontos principais que permitem as novas capacidades e os modelos comerciais do negócio digital — sistemas de informação, experiência do cliente, análise e inteligência, a IoT e os ecossistemas comerciais. Cada empresa terá uma mescla dessas cinco plataformas de tecnologia digital. As plataformas fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital.
  10. Arquitetura de Segurança Adaptável
    A malha inteligente digital e as plataformas de tecnologia digitais inteligentes relacionadas e as arquiteturas do aplicativo criam um mundo cada vez mais complexo para a segurança. A IoT é uma nova fronteira para muitos profissionais de segurança em TI, criando novas áreas de vulnerabilidade e, normalmente, requerendo novas ferramentas e processos de correção.
COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

20 de Outubro de 2017

Turismo impulsiona o desenvolvimento de Morro Redondo

SAIBA MAIS

 

20 de Outubro de 2017

Seminário sobre a Junta Digital ocorre em Lajeado

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 20/10/2017 12:01

Seminário Crescer Sem Medo debate mudanças do Simples Nacional

Sebrae RS Podcast 18/10/2017 16:36

Projeto Costa Doce Natureza promove rodada de negócios