Loading SEBRAE

Mais buscados: sei consultoria credito Boas praticas EMpretec

Loading SEBRAE

Economia Digital

Nichos na tecnologia

Especialização de empresas de TI ajuda a vencer concorrência internacional

23/02/17
Debora Chagas

Debora Chagas

Gerência Setorial da Indústria

COMPARTILHE
Com a criação de serviços menos generalizados pode-se competir com diferenciais que nem sempre são o preço e a matéria-prima mais barata, mas a qualidade e experiência.

Os problemas logísticos do Brasil e a alta competitividade de players internacionais na área de Tecnologia da Informação (TI) fazem com que as empresas busquem cada vez mais nichos de mercado para atuar. Para criar esses serviços e produtos, é necessário ter um alto conhecimento das demandas dos clientes. Em mercados menos generalistas, é possível competir com diferenciais que nem sempre são o preço ou a matéria-prima mais barata, mas a qualidade e a experiência.

O desenvolvimento de novas tecnologias é um nicho que as empresas brasileiras têm procurado ocupar. A área de Internet das Coisas (IoT, do inglês Internet of Things), que demanda soluções específicas para diversas áreas, é uma das apostas. Na saúde, aparelhos vestíveis fazem o monitoramento de sinais vitais e compartilham com outros equipamentos. No transporte, veículos inteligentes aproveitam melhor os combustíveis e ajudam no acompanhamento de problemas mecânicos. Na área da automação residencial, é necessário conhecer as peculiaridades geográficas das regiões em que as soluções são implementadas.

O cloud computing é outro exemplo de área que tem diversos nichos de atuação surgindo. Produtos específicos para o setor de segurança demandam uma infraestrutura completa que tem se transportado para a nuvem. O serviço de configuração de rede virtual privada (VPN) é outro que tem mostrado potencialidade para ser atendido por empresas com conhecimento técnico bastante especializado no assunto. Ao mesmo tempo, tem se tornado cada vez mais padrão que empresas façam entrega de softwares pela nuvem. Muitas fazem com que o usuário os utilizem apenas online, o que demanda infraestrutura que pode ser atendida por empresas especializadas nas demandas de setores educacionais, hospitalares e controle de produção.

78_1212_gcomgind_economiadigital_nichostecnologia_840x415

A i9Access, empresa focada em soluções para telessaúde e plataformas para atendimento médico à distância, surgiu como um dos resultados de uma pesquisa de mestrado do empreendedor Alexandro Bordignon. “Nós estávamos trabalhando em um projeto de tele-ultrassonografia, onde gestantes poderiam fazer os exames em postos de saúde próximos a suas casas, ao invés de irem até o centro da cidade. O médico especialista acompanhava o exame em tempo real, à distância”, conta. A empresa participou em 2015 do projeto de internacionalização do SEBRAE e desde então procura expandir as ações para o mercado internacional. Em novembro de 2016 a i9Access fechou sua primeira venda para o Paraguai e está em fase avançada de negociação com clientes chilenos. “A comercialização dos produtos é a principal dificuldade da grande maioria das startups. Então sugiro já iniciar pelo ponto mais difícil, para que no momento seguinte se criem produtos de acordo com a real demanda de mercado”, finaliza.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

21 de Agosto de 2017

As pessoas de uma empresa são parte fundamental dos negócios

SAIBA MAIS

 

21 de Agosto de 2017

Estande coletivo apresenta novidades de empreendedores gaúchos na Expoagas

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 21/08/2017 10:05

Tour da Moda leva varejistas a visitas técnicas em São Paulo

Sebrae RS Podcast 17/08/2017 16:25

Salão do Empreendedor ocorre durante a Expointer