Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei Credito mei consultoria boas praticas

Loading SEBRAE

Notícias

Confiança das Micro e Pequenas Empresas no Brasil aumenta

12/11/12

Da Redação

COMPARTILHE

Índice calculado pelo Sebrae registra em outubro o maior nível já alcançado desde abril

Da Redação 
Brasília – O otimismo das micro e pequenas empresas (MPE) no Brasil registrou em outubro 124 pontos, a mais alta pontuação desde que o Índice de Confiança das MPE no Brasil (ICMPE) começou a ser calculado, em abril deste ano. 72% dos pequenos negócios estão prevendo faturamento maior até dezembro e 26% desses negócios planejam contratar mais funcionários até dezembro. O resultado é apurado pelo Sebrae a partir de uma pesquisa com 5,6 mil pequenos negócios em todo o Brasil – microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte, que faturam no máximo R$ 3,6 milhões por ano. 
 
“A confiança dos pequenos negócios na expansão das atividades representa um impacto muito positivo para a economia brasileira, já que este segmento representa 99% das empresas brasileiras”, destaca o presidente do Sebrae, Luiz Baretto.
 
O ICMPE é medido em uma escala que varia de 0 a 200. Acima de 100, indica tendência à expansão das atividades, enquanto abaixo desse valor aponta para uma possível retração. O otimismo registrado em outubro é 10% superior aos dos meses de maio e junho, quando a confiança não passou de 112 pontos. 
 
Comércio e serviços são os setores que mais acreditam no cenário econômico brasileiro, com 124 pontos registrados, seguidos pela construção civil (123); e indústria (121). A alta confiança tem como reflexo a perspectiva de melhoria nas vendas de final de ano, beneficiadas nos últimos meses pela queda dos juros e dos impostos concedidos pelo governo, a exemplo da redução do IPI para a compra de automóveis e eletrodomésticos da linha branca (geladeiras, fogões etc.) 
 
Os Microempreendedores Individuais (MEI) – que faturam no máximo R$ 60 mil ao ano – apresentam o maior nível de confiança em outubro: 127 pontos, seguidas pelas Empresas de Pequeno Porte – que faturam entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões por ano – com 126 pontos, e pelas Microempresas – com receita anual entre R$ 60 mil e R$ 360 mil – com 121 pontos.
 
A Região Nordeste concentra o maior índice de otimismo entre as MPE, com 130 pontos. Em seguida, vêm as regiões Norte (127), Centro Oeste (125), Sul (123) e Sudeste (121). O alto índice apresentado entre os estados do Norte e Nordeste brasileiro se justifica por serem proporcionalmente os mais beneficiados pelos programas sociais do governo federal, tais como Bolsa Família, a política de aumento do salário mínimo, e pela melhora dos rendimentos médios dos trabalhadores na economia brasileira. 
 
 
No mês de setembro de 2012, 30% das empresas pesquisadas registraram aumento no faturamento frente ao mês anterior, 24% registraram diminuição e 46% estabilidade. O setor de serviços e a região Nordeste foram os destaques positivos. Quanto ao pessoal ocupado, em setembro, 7% das empresas entrevistadas registraram aumento, 7% registraram diminuição e 86% estabilidade. 
 
 
Método
O Índice de Confiança das MPE no Brasil é calculado mensalmente pelo Sebrae, a partir de uma amostra planejada de 5.600 empreendimentos, entre microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. A pesquisa apresenta uma margem de erro de 2 pontos percentuais para a média dos dados nacionais e 7 pontos percentuais para a média dos dados estaduais, com um nível de confiança de 95%. 
 
O Índice resulta da média de dois outros indicadores: o Indicador de Situação Atual (ISA), considerando a atividade – faturamento e pessoal ocupado – no mês atual comparado ao anterior, e o Indicador de Situação Esperada (ISE), abordando as perspectivas para os três meses seguintes. São quatro questões – duas sobre faturamento e duas sobre emprego – e três únicas respostas: se houve aumento, redução ou estabilidade.
 
As respostas são medidas numa escala de 0 a 200, onde 100 é o ponto de equilíbrio. Acima de 100, o resultado é considerado positivo, com tendência de expansão das atividades. A metodologia foi criada pelo Sebrae com base nos indicadores de confiança da Universidade de Michigan e no Conference Board dos Estados Unidos, referência mundial em pesquisas econômicas. As entrevistas são feitas por telefone e contam com parceria da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). 
 
A pesquisa tem abrangência nacional e também detalha alguns dados por região e estados, além de avaliar os dados por setor (indústria, comércio, construção civil e serviços) e porte (microempreendedor individual, que fatura até R$ 60 mil por ano; microempresa, até R$ 360 mil por ano; e pequena empresa, até R$ 3,6 milhões por ano). A margem de erro é de dois pontos percentuais, no caso dos dados nacionais; de 2,5 pontos percentuais, nas informações nacionais setoriais; e de sete pontos percentuais, no dado estadual geral.
 
COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Siga o SEBRAE RS

Notícias

18 de Abril de 2018

Sebrae RS promove rodada de negócios na 13ª Envase Brasil

SAIBA MAIS

 

18 de Abril de 2018

Sala do Empreendedor de Torres estipula metas para diminuir burocracia

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 17/04/2018 17:07

Sebrae lança projeto para apoiar MPEs na área da saúde

Sebrae RS Podcast 16/04/2018 16:45

Missão empresarial participa de feira industrial Alemanha