Loading SEBRAE

Mais buscados: sei credito Consultoria boas praticas Empretec

Loading SEBRAE

Bovinocultura de Leite

Agronegócios

Lavoura é a base da atividade leiteira

12/01/17
Ana Carolina Cittolin

Ana Carolina Cittolin

Gerência Setorial do Agronegócio

COMPARTILHE
Cerca de 70% dos custos de produção da pecuária leiteira são relacionados à alimentação

Antes da produção do leite, vêm as pastagens. Para se atingir altas produtividades na atividade leiteira, é preciso planejar primeiramente as áreas a serem plantadas para pastoreio ou produção de grãos. Com manejo e disponibilidade adequada de alimentos para os animais, o produtor consegue reduzir o custo por litro produzido e ainda produzir de uma maneira sustentável para o sistema da propriedade.

Como cerca de 70% dos custos de produção da pecuária leiteira são relacionados à alimentação, sendo assim, o planejamento forrageiro é fundamental. Isso significa escolher as espécies adequadas à nutrição das vacas e o manejo a ser exercido em cada uma das áreas. No inverno, o azevém e a aveia são os mais comuns no Rio Grande do Sul, em áreas que no verão podem receber grãos ou mesmo espécies forrageiras como capim sudão e milheto, entre outras. Opções perenes como tífton também podem ser usadas, de acordo com a característica de cada área da propriedade.

Consultor do SEBRAE RS e diretor da SIA – Serviço de Inteligência em Agronegócios, Davi Teixeira defende o conceito de “lavoura de leite”, reforçando a ideia de que planejar os plantios, prover os nutrientes para o solo e praticar um manejo do gado adequado, com técnicas como pastoreio rotativo, são atividades essenciais na gestão de uma propriedade leiteira.

20_1207_agro_producaosintegradadeleite_revisado_840x415

O consultor defende o planejamento e exploração da propriedade de forma integrada. Uma das ferramentas para isso é o Programa de Produção Integrada em Sistemas Agropecuários – PISA,  metodologia que vem sendo utilizada já há alguns anos nos projetos do programa JPC. “Os sistemas integrados trazem essa mudança conceitual, em que os produtos finais, como o leite, a carne, a soja, o milho, suas produtividades e rentabilidades, são apenas consequência daquilo que se pratica de bom ou de ruim para o solo e os demais recursos envolvidos”, resume Teixeira.

Para otimizar os resultados é preciso, além de planejamento, um controle permanente do manejo, com atividades como acompanhamento da altura do pasto, para determinar os momentos ideais de rotação do gado. A disponibilização de nutrientes adequados ao gado, via pastagem e silagem, pode reduzir a necessidade de uso de concentrado, que representa alto custo.  

O trabalho realizado pela equipe de Teixeira em uma propriedade de 9 hectares em Anta Gorda (RS), por exemplo, implantando conceitos de produção integrada, resultou, em três anos, em ganhos como redução de 44% no custo de alimentação do gado e alta de 31% na produtividade média diária de leite por vaca – também houve aumento na produção por hectare.

Outras propriedades de pecuária leiteira, atendidas pelo Juntos para Competir, programa promovido por FARSUL, SENAR-RS e SEBRAE RS, também têm obtido melhoria de resultados com aplicação do PISA e outras ferramentas de gestão apoiadas e indicadas pelo SEBRAE RS.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

23 de Outubro de 2017

Oportunidades de negócios para empresas do setor de energia

SAIBA MAIS

 

20 de Outubro de 2017

Turismo impulsiona o desenvolvimento de Morro Redondo

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 23/10/2017 10:55

Evento em Lajeado apresenta vantagens da Junta Digital

Sebrae RS Podcast 20/10/2017 12:01

Seminário Crescer Sem Medo debate mudanças do Simples Nacional