Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei Credito mei consultoria boas praticas

Loading SEBRAE

Pecuária do Leite

Qualidade no Leite

Gestão de propriedade que gera qualidade do leite

28/08/17
Ana Carolina Cittolin

Ana Carolina Cittolin

Gerência Setorial do Agronegócio

COMPARTILHE
Para o produtor alcançar a qualidade do leite, ele deve partir de três princípios: melhoramento genético, educação sanitária e assistência técnica gerencial

A qualidade do leite não se resume à indústria: os cuidados começam na propriedade rural, quando o produto ainda está longe de chegar ao consumidor. Roberto Lucena, auditor fiscal federal agropecuário do MAPA (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) explica como o produtor rural deve melhorar as técnicas e práticas agropecuárias a fim de transformar sua produção, agregando valor e qualidade ao leite.

A produtividade do setor no Rio Grande do Sul é uma das melhores do Brasil, chegando 16 milhões de litros de leite por dia. O dado do IBGE aponta que o estado gaúcho representa 12% de toda a produção nacional, sendo o terceiro estado maior produtor, com mais de 80 mil produtores envolvidos na atividade. Buscando qualificar o setor produtivo, o Governo Federal lançou o Programa Mais Leite Saudável, que oferece recursos e incentivos para colocar o Brasil em destaque mundial. Lucena afirma que, através de Assistência Técnica voltada para a gestão da propriedade, implementação das Boas Práticas Agropecuárias e capacitação dos produtores rurais será possível ter implicação direta na sustentabilidade, produção, produtividade e qualidade do leite.

Em assistências técnicas frequentes, agrônomos, veterinários e técnicos em agropecuária irão capacitar os agricultores. “O produtor passa a ser orientado para adotar medidas de controle na ordenha, alimentação, sanidade do rebanho, manejo, pastagens, água, bem estar animal, reprodução, aplicação e período de carência de medicamento e gerenciamento da propriedade”, afirma o fiscal. Assim, é possível implementar ações e criar mecanismos de controles ao longo das atividades que envolvem a produção leiteira. Mensalmente o leite será analisado para parâmetros de qualidade ressaltando a Contagem de Células Somáticas, que revela possíveis enfermidades no animal, e a Contagem Bacteriana Total. “É importante termos esses parâmetros para avaliarmos e fazermos ações mais efetivas para a melhoria da qualidade do leite”, salienta.

Outro ponto fomentado no programa é a criação ou desenvolvimento de atividades que promovam o melhoramento genético dos rebanhos buscando os melhores resultados, principalmente por meio de avaliações zootécnicas e cruzamento. “Tu vais identificar deficiências e vais tentar corrigir com cruzamentos dirigidos”, esclarece. Com a busca por animais selecionados, espera-se um aumento da produção e da qualidade.

Além do melhoramento genético, os produtores são estimulados a participarem de seminários e encontros onde há troca de experiências, o que promove a educação sanitária nas propriedades. Lucena afirma que quase todos os projetos voltados para a qualidade do leite incluem estas atividades, o que gera um domínio maior de normas e processos pelos agricultores. “Tudo isso é para o produtor rural ter um melhor domínio da atividade, melhorar a qualidade do leite e melhorar o gerenciamento da sua propriedade”, finaliza.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

18 de Abril de 2018

Sebrae RS promove rodada de negócios na 13ª Envase Brasil

SAIBA MAIS

 

18 de Abril de 2018

Sala do Empreendedor de Torres estipula metas para diminuir burocracia

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 17/04/2018 17:07

Sebrae lança projeto para apoiar MPEs na área da saúde

Sebrae RS Podcast 16/04/2018 16:45

Missão empresarial participa de feira industrial Alemanha