Loading SEBRAE

Mais buscados: sei credito Consultoria boas praticas Empretec

Loading SEBRAE

Bovinocultura de corte

>
Números no campo

Métricas e indicadores mais importantes na produção de carne bovina

12/01/17
Roberto Grecellé

Roberto Grecellé

Coordenador estadual de pecuária de corte do SEBRAE RS.

COMPARTILHE
Elementos principais: lotação e ganho médio diário, taxa de desmame, taxa de desfrute, referenciamento da equipe, produção de arroba/ha/ano, desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano.

Há uma imensidão de dados que podem falar sobre como anda uma propriedade focada na produção de carne bovina. O acompanhamento tem se tornado cada vez mais ágil com o surgimento de softwares de gestão rural. Mas o simples fato de as informações estarem disponíveis não significa que fazem sentido ou têm o mesmo peso de significado. Como definir, então, o que realmente é relevante para entender o desempenho de uma propriedade?

O Gerente Regional da Campanha e Fronteira Oeste do SEBRAE RS, Ângelo Aguinaga, sugere dividir os dados em dois grupos: os mais técnicos e produtivos e os ligados aos fatores econômicos.

– É impossível deixar de pensar na lucratividade, que é um dos elementos principais levando em conta as questões econômicas. Pensando em produtividade, a taxa de desmame é essencial – escolhe.

De acordo com o Instituto Terra de Métricas Agropecuárias (Inttegra), focado em assessoria de métricas gerenciais, é possível estabelecer sete elementos principais: lotação e ganho médio diário, taxa de desmame, taxa de desfrute, referenciamento da equipe, produção de arroba/ha/ano, desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano.

112_gagro_bovino-de-corte_metricas_revisado-002_840x415

A taxa de desmame é importante por identificar os níveis de fertilidade dos animais e quantificar as mortes pré-parto e perdas de bezerros. Já a taxa de desfrute se refere a quanto o rebanho “rendeu” em relação ao número inicial de cabeças, crescendo. O referenciamento da equipe é um indicador mais subjetivo. Deve-se analisar se os trabalhos estão sendo realizados com qualidade na propriedade e se o número de pessoas dá conta da demanda. O percentual que os trabalhadores representam no faturamento da empresa deve ser levado em conta também. A produção de quilos/ha/ano está relacionada profundamente com o quanto a empresa fatura.

O desembolso por cabeça por mês e lucro por hectare por ano são os indicadores finais e que ajudam a entender o quanto a estratégia administrativa traz lucros para o produtor. O lucro é variável em cada região do país, mas deve levar em conta o total geral de despesas, a variação do rebanho e a área total de pasto.

É preciso fugir das médias de produtividade brasileiras atualmente, influenciadas por baixa aplicação de tecnologia no campo, e perseguir resultados de propriedades tecnificadas, a fim de obter êxito no negócio pecuário. A taxa de desmame média no Rio Grande do Sul, por exemplo, é de cerca de 60%, considerada muito baixa por especialistas. Em propriedades com manejo adequado, ela supera os 80%. Os ganhos nos indicadores técnicos costumam impactar positivamente nos econômicos.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

23 de Outubro de 2017

Oportunidades de negócios para empresas do setor de energia

SAIBA MAIS

 

20 de Outubro de 2017

Turismo impulsiona o desenvolvimento de Morro Redondo

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 23/10/2017 10:55

Evento em Lajeado apresenta vantagens da Junta Digital

Sebrae RS Podcast 20/10/2017 12:01

Seminário Crescer Sem Medo debate mudanças do Simples Nacional