Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei consultoria credito Boas praticas EMPRETEC

Loading SEBRAE

Minimercado

Minimercados

Tecnologia em minimercados ajuda a incrementar vendas

06/07/17
Roger Scherer Klafke

Roger Scherer Klafke

Gerência Setorial do Comércio e Serviços

COMPARTILHE
Cada mercadinho de bairro tem suas características de consumo. Por que não atendê-las potencializá-las?

A busca por praticidade e comodidade são fatores que favorecem os estabelecimentos de vizinhança, como são chamados os minimercados, mercadinhos e armazéns. De acordo com o estudo setorial realizado pelo SEBRAE Nacional, o nicho conta com cerca de 416 mil estabelecimentos e responde por 35% das vendas do setor supermercadista. Neste cenário, investir em tecnologia e em melhorias nos estabelecimentos torna-se uma vantagem competitiva.

Dados apontam que 35,5% destas lojas não realizou nenhuma melhoria de infraestrutura nos últimos 12 meses – seja ela uma reforma no local ou compra de equipamentos. Além disso, 37% dos estabelecimentos não possuem cadastro de clientes e 35,8% ainda utiliza um cadastro manuscrito.

Existem diversas tecnologias que podem facilitar estes pequenos empreendimentos, tanto no atendimento ao cliente quanto na otimização da venda. O self check-out, por exemplo, agiliza o processo de compra no cartão de crédito ou débito. Há, também, minimercados que apostam no e-commerce, agradando aqueles que desejam realizar suas compras em casa.

O uso de dados para otimizar as vendas nos estabelecimentos também pode ocorrer no pequeno varejo. Rodrigo Dalla Vecchia, professor de matemática da UFRGS e profissional ligado à inteligência de negócios, afirma que os dados disponíveis na internet auxiliam as empresas a criarem insights para melhorar o faturamento nos estabelecimentos. “Muitas vezes o proprietário não tem tempo de fazer uma análise de como os clientes entram e compram no local, e acabam se baseando em informações genéricas, vindas da Europa”, relata.

Já existem empresas de business intelligence focadas em pequenos empreendimentos. Após análise das informações de venda e compra do estabelecimento, elas geram um relatório que aponta quais melhorias e ações devem ser implantadas. “Cada mercadinho de bairro tem suas características de consumo. Por que não atendê-las potencializá-las?”, questiona o professor. Vecchia frisa que o uso de inteligência em minimercados pode potencializar as vendas. “O uso de inteligência de dados impacta mais o pequeno do que o grande empreendedor. O grande já vem otimizando processos há tempos, enquanto o pequeno é muito intuitivo. Quando essas tecnologias são agregadas ao processo, isso costuma gerar um bom impacto”, analisa Rodrigo.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Notícias

18 de Setembro de 2017

Mercopar recebe inscrições para as Rodadas de Negócios até quarta-feira

SAIBA MAIS

 

15 de Setembro de 2017

Capão da Canoa inaugura Sala do Empreendedor com participação do SEBRAE RS

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 18/09/2017 11:22

Empreendedoras criam calcinha que dispensa uso de absorvente

Sebrae RS Podcast 14/09/2017 16:32

Painel apresenta empresas que prosperaram em meio à crise