Loading SEBRAE

Mais buscados: Sei Consultoria Credito Boas praticas Empretec

Loading SEBRAE

Notícias

A rainha da alface hidropônica

Francieli Torquato, de Mampituba, enfrentou dramas familiares e de saúde, e hoje, com o apoio do Programa Juntos para Competir, é uma das principais fornecedoras de hortaliças do Walmart no litoral gaúcho

20/01/17

Da Redação

COMPARTILHE

Francieli cultiva alfaces na água (Foto: Divulgação)

Mampituba – Quem procura por alfaces nos supermercados da Rede Walmart no litoral gaúcho não imagina a história de perseverança que está por trás das belas folhas verdes da marca O Rei do Alface Hidropônico. A trajetória da produtora rural Francieli Torquato se assemelha a de muitos pequenos agricultores espalhados pelo País, que acordam cedo e batalham de sol a sol para garantir sustento. Mas o sucesso dessa empresária de Mampituba conta com uma grande dose de persistência e resiliência aliada aos apoios certos na hora certa. Entre os parceiros dessa jornada estão a Universidade Federal de Santa Catarina e o Programa Juntos para Competir, que une FARSUL, SENAR-RS e SEBRAE RS.

Há dois anos, Francieli tinha uma pequena estufa com cerca de 10 dúzias de alfaces que vendia de porta em porta nos mercadinhos e residências do município. Hoje, em sua propriedade, há duas estufas de grande porte que produzem 8 mil pés de alface e outras hortaliças ao mês. A produção livre de agrotóxicos tem um comprador único: a multinacional Walmart.

O destino bem-sucedido dessa empreendedora começou a ser traçado a partir de dois dramas familiares. Há quatro anos, Francieli morava em Florianópolis e teve de parar de trabalhar e voltar para o interior do Estado, em Mampituba, após dar à luz a uma criança especial, que necessitava de atenção integral. O marido Adriano voltou a trabalhar na roça, em uma plantação tradicional de tomates, com uso de agrotóxicos. Mas Francieli não quis ficar parada. Pesquisou e descobriu que o cultivo de alface é muito simples e rápido, com ciclo de cerca de 30 dias para a colheita.

Começou a plantar, até que foi encontrada pelo filho mais velho, Tiago, desmaiada no terreno. Foi diagnosticada com problemas cardíacos e orientada pelo médico a não ficar mais naquela posição, totalmente abaixada. Não desistiu. Aprofundou-se mais nas pesquisas e viu que o cultivo de hidropônicos poderia ser uma opção. Mandou cartas para várias instituições de ensino e acabou sendo atendida por um professor da UFSC e fez um curso à distância sobre hortaliças e verduras no sistema hidropônico.

Um novo rumo para a colheita

A plantação das algumas mudas veio e Francieli se encheu de coragem para encarar a maior rede mundial de varejo. “Separei uma caixa com 12 pés de alface, embalados individualmente em sacos plásticos, e levei até o Walmart”, recorda a agricultora. O comprador que a atendeu se encantou pela qualidade e higiene da alface. Disse que compraria os produtos, mas precisava de um volume muito grande, devidamente embalada e com marca registrada.

O próximo passo foi uma visita à Expointer, em Esteio (RS), em 2015, quando a produtora encontrou o estande do Programa Juntos para Competir e conversou com a gestora de projetos de agronegócio da Regional Metropolitana do SEBRAE RS, Lissandra da Silva Monza. “Reconheci o espírito empreendedor e a convidei para participar do Projeto Desenvolver a Horticultura na Região Metropolitana de Porto Alegre”, conta Lissandra. Com duração de quatro anos, a iniciativa apoia gratuitamente 80 produtores rurais da região. Iniciado em 2016, o projeto levou cursos de gestão e qualidade total, consultoria de marketing e apoio ao manejo ecológico, entre outras ações, para a empresa de Francieli. O resultado está na marca o Rei do Alface Hidropônico, que ocupa as gôndolas da Rede Walmart no litoral gaúcho, com alface, rúcula, agrião, chicória, radicci, salsa e cebolinha. Todos cultivados sem o uso de agrotóxicos.

E a evolução da empreendedora de Mampituba não para por aí. “O Walmart já manifestou interesse em vender meus produtos nos mercados do litoral catarinense. Agora, quero produzir também em Florianópolis e, com isso, aumentar a renda da família e tirar minha mãe do trabalho de diarista na capital catarinense”, revela Francieli, prestes a dar mais um importante passo em sua vida.

COMPARTILHE
ESTE CONTEÚDO FOI ÚTIL PARA VOCÊ?

Siga o SEBRAE RS

Notícias

22 de Setembro de 2017

Salão da Inovação será destaque na Mercopar

SAIBA MAIS

 

21 de Setembro de 2017

Doces de Pelotas no cardápio da 25ª Avaliação Nacional de Vinhos

SAIBA MAIS

Vídeos

Ouça o podcast do SEBRAE

Sebrae RS Podcast 22/09/2017 09:32

Doces de Pelotas serão servidos na Avaliação Nacional de Vinhos

Sebrae RS Podcast 21/09/2017 11:32

Encontro em Santa Maria busca soluções digitais para a educação